etjg

A incrível sensação de ter 20 e tantos anos.

A vida começa aos 20, porque sim!

Não somos mais crianças mas também não nos chamam de adultos, somos os jovens do futuro. Aqueles que irão ter toda a responsabilidade do mundo para fazer a diferença, aqueles que são a esperança da humanidade, os dinâmicos, empreendedores, activos, e mais um tanto de coisas… Mas nada disso é o que pensamos.

Estamos muito ocupados, até demais, só queremos os dias de domingo preguiçosos, aqueles mesmo em que acordamos a cada 2h, olhamos o relógio e pensamos: daqui a pouco levanto… e assim ficamos até às 12h com a famosa frase: o almoço ‘ta pronto!

É nesse momento que saímos da cama mais cansados do que quando nos deitamos, vamos até à cozinha a rastejar tipo zombies, eu mesmo costumo fazer essa piadinha quando alguém tenta rir do meu estado: “O lado bom é que se os produtores de the walking dead me vissem nem era preciso fazer casting, contratavam-me aqui mesmo!”.

Depois do fantástico almoço de domingo com família reunida o que fazemos? Deitamos, vemos televisão, utilizamos todas as redes sociais possíveis no nosso smartphone para não perder nada. E viva o dia do ‘’faço isso depois’’!!!

Mas a seguir é que as coisas complicam para um jovem de 20 anos, a segunda-feira! A terrível segunda-feira.

O bom é que, mais tarde ou mais cedo, a quinta-feira acaba por chegar e é mais animada, alguns bares até têm musica ao vivo, um bom ambiente e uma boa companhia… agora sim a semana está a começar a ficar boa… uma saída de leve para sair do tédio, enquanto esperamos ansiosamente pela sexta-feira, onde a verdadeira animação começa.

É agora que oficialmente estamos mais vivos e energéticos que nunca, é onde a cada virar de esquina encontramos um bar, um amigo, alguém interessante, os olhares com o melhor amigo começam a fluir (e coitados dos que não os entendem), os risos maléficos transparecem e os segredinhos que incomodam muita gente surgem.

Horas de conversas, risos, danças, entre um beijo e outro conhecemos o nosso amor de fim-de-semana, e sim, a cada fim-de-semana temos um amor diferente. O bom de ser jovem é todo esse, apenas queremos aproveitar a viagem, temos todo o tempo do mundo, e como costumamos dizer: a noite ainda é “jovem”, e nós também.

Não estamos preocupados com o amanhã, e aquela falsa sensação de liberdade e eternidade persegue-nos. Fazemos loucuras que nunca imaginamos quando éramos crianças, mas e então? Quando formos avós apenas teremos boas historia para contar.

E então se à 00h eu quiser sair? Se nessa mesma noite eu quiser ir até a próxima cidade que fica a 50km? Se quiser dançar até o sol nascer? Beber até cair no chão? Dormir na casa de alguém porque está muito tarde para eu voltar? Nadar às 02h da manhã? Trocar olhares com algum desconhecido só pelo prazer daquele sorrisinho de se sentir desejado? E se eu subir no telhado apenas para admirar as estrelas? Fingir estar mal apenas para ver quem se preocupa e depois rir da cara da pessoa porque estava ‘’muito engraçada’’? Porque não?

O melhor de tudo é a variedade de jovens que encontramos pelo caminho, loiros, morenos, tímidos, loucos, românticos, desapegados, estudiosos, apaixonados, quietos, existem até os nerds, os rockeiros, os cowboys, os esquisitos, os que fazem piadas e riem de tudo, os fofinhos…

A tarefa mais difícil é ter a mentalidade aberta para tirarmos experiências úteis para a nossa vida adulta, mas enquanto isso… ser jovem é assim mesmo, sair quando quisermos, envolver-se na magia da noite, deixar-nos seduzir pelos encantos dos ritmos e dos sabores que encontramos por ai… e no fim, só mesmo no fim preocupamo-nos em dormir, nem que seja por 1h para no dia seguinte rastejarmos por ai… ahh e não se esqueçam dos óculos de sol, espelhados de preferência.

Bom, deixa-me ir agora porque hoje é sexta-feira e eu tenho 20 e tal anos.

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...