Antes de procurar alguém, encontra-te! - Já Foste

Antes de procurar alguém, encontra-te!

Não procures alguém que te complete, para ser sincero, não procures ninguém. As melhores coisas da vida acontecem quando tu menos esperas. Acontecem quando tem que acontecer. Se for para encontrar, encontra alguém para sentar contigo no sofá, para mexer e bagunçar o teu cabelo e que não se importe de assistir àquele filme que tu amas mais que lhe provoca o sono. Encontra alguém que tenha assuntos para conversar contigo no final da noite, mesmo depois de um dia corrido, ou alguém que dispute quem de vocês faz mais pontos naquele jogo em que vocês viciaram. Se tu estiveres bem contigo, o outro não precisa te completar, só precisa chega para somar.

Antes de te apaixonares por alguém, apaixona-te por ti. Antes de querer alguém para amar, ama-te e o outro chegará quando tu menos esperares. Antes de correr atrás de alguém, lembra-te que ainda existe uma temporada inteira daquela tua série favorita para assistir.

Não procures alguém para te tirar o tédio, para dar as mãos, para ocupar o lado esquerdo da cama e do peito. Tu precisas ter certeza de que sozinho ocupas bem a cama e a ti mesmo, que sozinho tu vais longe, que tu não dependes de ninguém para isso, que também és capaz de encontrar os teus caminhos e que não precisas de ninguém para te levar a lugar algum. Quando tu entenderes que a leveza da tua alma e a paz da tua vida não merece ser trocada por nenhum peso ou bagunça sentimental, o outro só chega para seguir o fluxo de um amor tranquilo, para te apresentar novos lugares e caminhos.

Não procures alguém só para chamar de ”amor” ou só para apelidar de algum desses nomes fofos-clichês. Não procures alguém só para ter quem apresentar no encontro com os teus amigos, ou para ter um colo para pegar no sono quando a preocupação com o trabalho te estiver a atormentar. Não te mantenhas em lugares que só te perturbam, e isso também vale para pessoas. Já perdemos muito tempo tentando seguir caminhos que não são os nossos, tentando aprender coisas que não queremos, ficando com pessoas que não suportamos. Onde não existir reciprocidade, não te demores.

Encontra alguém que, mesmo com nome e sobrenome, te faça entender o significado de chamá-lo de ”meu amor”, alguém que esteja disposto a te dar colo, carinho, afeto, não somente nos seus melhores dias, mas nos piores também, alguém que os teus amigos reconheçam como ”a pessoa certa para ti” e concordem quando tu sorris ao falar dessa pessoa.

Não procures alguém só para te ligar e conversar sobre saudade, só para combinar um cinema num sábado à tarde, ou só para te dizer que vai aparecer quando der. Encontra alguém que esqueça de te ligar para te avisar e em vez disso chegue na tua casa de surpresa para matar a saudade. Não procures alguém para ocupar a tua vida, porque às vezes a gente perde muito tempo com quem ocupa espaços que não merecem ocupar. Poupa o teu tempo e a tua paciência com quem só sabe te dizer: ”não sei/vou pensar/qualquer coisa eu te ligo”. Dá o teu tempo a quem te diz ”estou indo/abre a porta que eu já cheguei”.

Não procures alguém só por estimação, para preencher as tuas horas e ocupar os teus momentos, porque quando tu és capaz de preencher sozinho a tua vida, tu ocupas-te por inteiro, e tu passas a não aceitar nada nem ninguém que te ofereça menos do que aquilo que tu mereces, tu passas a não desejar qualquer coisa, a não aceitar nada além de alguém que se realize contigo, porque se for para ser mais uma página a ser rasgada, é melhor escrever o livro sozinho.

Texto de Iandê Albuquerque

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...