soldi

Carta da namorada de um soldado

Esta é uma carta de resposta. Se ainda não leste, aconselhamos-te a ler primeiro a Carta de um soldado.

Olá meu Guerreiro!

Esta carta exprime o que o meu coração não consegue explicar por palavras ditas. A solidão é a minha maior companhia nos últimos meses, nem a presença de milhares de pessoas atenua a solidão que sinto por não te ter aqui, e só a possibilidade de nunca mais te ter ao meu lado destrói-me.

Não esqueço nenhum momento nosso, pois todos eles constroem a nossa história de amor, que já dura há tantos anos. Eu sei que nunca deixaste de me amar em nenhum momento, eu também não. Nunca! Não te amava menos quando dizia aquelas palavras duras contra ti. Não te amava menos quando davas mais atenção ao jogo de futebol ou aos videojogos do que a mim. Não te amava menos quando acordava a meio da noite com o teu ressonar e tu acordavas com mau humor. Não te amava menos quando falavas de carros e motas, e eu não percebia nada. Não te amava menos quando te rias por eu não saber usar saltos altos ou estava borratada de maquilhagem. Não te amava menos nunca, porque cada dia que passa o meu coração se enche de amor puro e renovado por ti. Neste momento este meu amor é a maior força , a única que me faz sobreviver.

Meu amor tenho algo a confessar-te, tenho ciúmes dessa tua pátria e dessa tua arma, sinto que me trocaste por elas. Será que elas valem a pena a tua vida? Será que valem todo este sacrifício? Será que valem a nossa distância? Será que valem o nosso amor? Quanto mais me pergunto mais tenho a certeza de que não. Quem te deu essa arma para a mão não sabe ao certo a dor da saudade, o vazio da ausência e o medo de nunca mais vermos quem amamos.

SIM, quero muito fazer essa loucura contigo, ser só tu e eu, e os nossos pequeninos, apesar de saber que esta carta mostra que os nossos corpos nunca mais se vão tocar, os nossos lábios beijar, nem os nossos olhares se cruzarem. E é claro que te deixo ser doido, parvo, infantil e louco, foram das coisas que mais me atraíram em ti, esse sorriso de criança, essa doidice de adolescente e essa loucura de homem. Tudo em ti me cativava, pois tudo em ti falava.

Sabes amor, quando me dizias que me amavas e eu pedia para repetires não era por duvidar do teu amor, era para guardar no meu coração o maior número de «amo-te», eu sentia que mais cedo ou mais tarde iria ter que relembrar todos eles para me lembrar como este amor foi tão verdadeiro.

Depois de receber a tua carta e de chorar horas sem parar percebi que tinha que te responder, e onde quer que estejas sei que irás ler e reler, e lembrar de tudo o que nós passámos. Sim, porque esta carta vai acompanhar-te para sempre, tal como a bandeira da tua pátria, mas sei que agora percebeste que essa tua pátria não merecia tanto sofrimento.

Estou a chorar meu guerreiro, porque sei que nunca mais te vou ouvir a rir, nem abraçar, nem beijar. Tu foste a melhor oportunidade da vida em acreditares em mim e a prova de que a vida é bem melhor com amor. Obrigado por me teres feito viver.

Amo-te para sempre.

Texto enviado por Elodie Jesus

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...