iou

Consciência Apaixonada

Tu queres saber. Queres mesmo. Procuras imenso por respostas a perguntas incompreensíveis e quase entras em desespero. Na perseguição de um rasto de pegadas ocultas. Vives numa submissão ignorante e inevitável. Perseguem-te dúvidas por entre as sombras mas sentes-te confortável apesar de tudo. Sentes-te bem e sentes uma espécie de felicidade comedida e indescritível.

Tudo é confuso, desde esta mistura de emoções até ao que realmente se quer saber. Um assunto delicado, um compromisso inegável na tua consciência. Mas será que é amor? Será que estás apaixonado? Como e porque é que tudo que te envolve te trás lembranças? A mente está ocupada por quem é demais especial, por quem queres sempre perto e que nunca se afasta realmente. Alguém que te obriga a pensar nela de dia e sonhar com ela de noite. Faz-te sentir arrepios quando os seus olhos se cruzam com os teus e quando as tuas mãos pegam nas dela. Suspiras quando as saudades apertam e que rápido elas crescem depois da custosa despedida até ao dia seguinte. É também isto que transforma o estranho num valor, que transforma o lamechas em algo especial por ser mais um momento vosso. E das lamechices para as loucuras a progressão é simples, até que se volta ao romântico, com o poema no guardanapo e o presente surpresa na porta de entrada para ser encontrado de manhã bem cedo. Toda esta ingenuidade que a atracção te provoca é o genuíno da loucura que sentes coragem para cometer para mais uma vez demonstrares merecimento afectivo. A mistura das vossas visões serão o complemento das vossas almas. Sentes-te com tudo.

É isto não é? Isto é estar apaixonado. Pelo menos é parecido com tudo o que sentes, ou será que não é? O que é que é parecido com o que não consegues descrever? É tudo que certamente provoca aquele sorrisinho parvo ao acordar, aquela boa disposição constante, aquela energia extra, aquela sensação de se ter tudo para sempre. Contínuas sem saber se andas numa viagem entre todos estes destinos emocionais, porque não sabes mais nada além do que está relacionado com aquela pessoa. Também não queres saber. Desconcentras-te por completo e pareces desconectado da realidade. Estás perdido devido a tudo o que sempre quiseste encontrar. Devido ao especial com todas as qualidades e defeitos que admiras e que tornam os momentos perfeitos. É aqui o início da viagem, é aqui o início do amor indefinível.

Tal como no princípio, tu queres saber e nunca saberás. Porque para estares apaixonado, tudo o que precisas de saber, é simplesmente não saber.

Texto de Paulo Sousa

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...