sjrfj

Desculpa se não sou bom o suficiente para ti.

Desculpa-me se eu não sou bom o suficiente para ti, eu tentei, eu insisti, eu lutei – meu Deus, como eu lutei! – mas no final de tudo acabou como algo mal acabado, para nós que sempre odiamos os meios termos, os quaisquer coisa, as duvidas, as opções, terminamos com tudo pela metade.

Todos nós procuramos constantemente a perfeição para nós próprios, para o nosso circulo familiar, para a sociedade e para – o mais importante – a nossa cara metade. Mas hoje eu acredito que a perfeição é como um sapato, eu devo estar confortável nele. Não adianta andar com um sapato lindíssimo ou, no caso das mulheres, com um salto quinze desconfortável, tendo que manter a pose o tempo todo, com as pernas trémulas de dor.

Eu que sempre fui capaz de aceitar tudo para te fazer feliz, deixei de lado coisas importantes da minha vida para te fazer prioridade, mas hoje só quero ser feliz sozinho – pelo menos por agora – eu quero completar-me, eu quero ser a pessoa da minha vida.

Hoje eu sou capaz de vestir aquele velho par de meias e ver um bom filme, atirado no sofá, sem medo de ser feliz sozinho. Hoje eu aprendi que toda a queda é uma nova chance de aprender a caminhar. Hoje eu tenho a certeza que no fundo eu não preciso impressionar ninguém.

Eu não vou mais segurar-te comigo. Tu também não precisas perder tempo a contar-me os teus motivos, pois como eu disse, já faz um tempo que eu te sinto mais fora do que dentro da minha vida. É que agora é oficial, agora eu dei-me conta que eu não quero mais iludir-me de que estou feliz quando, na verdade, estou quebrado em cacos por dentro. Desculpa.

Pensei em ligar-te várias e várias vezes, mesmo sem saber o que dizer. Talvez para dizer que eu me sentia sem orgulho e sem nem dignidade e que estava a morrer de saudades, mas não liguei. Foi bem melhor assim. Hoje eu sou mais feliz. Mesmo sozinho. Mas quem sabe um dia eu encontre aquela pessoa especial, que me aceite com todos os meus defeitos e que não me faça sentir que ser perfeito é uma obrigação.

Já me dizias que a vida é muito curta para não aproveitar tudo o que ela tem para nos oferecer, então hoje eu aceito tudo o que ela me propõe e me permite viver. Desculpa se não fui bom o suficiente para ti.

Texto de Jefferson Figueiredo

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...