ardf

Ela é daquelas que sorri para a vida.

Meio maluca, às vezes. Não está nem aí para o que vão pensar das suas atitudes, se for para pular de um penhasco, ela pulará. E se for para ficar em casa a assistir a um filme, enquanto os seus amigos vão sair para a noite, ela ficará. Ela é assim, imediatista, vive tudo o que a vida proporciona. Não liga para o que terá que enfrentar para alcançar o seu objetivo, o importante é alcançar. E quando consegue, a vida fica de pé para lhe dar os parabéns. É como se fosse uma troca de favores, ela sorri para a vida e a vida sorri de volta.

Ela é daquelas que tem uma coragem absurda, nunca abre mão do que quer. E quer, quer muito. Ela acredita como se fosse o último acontecimento da sua existência. Grita, bate o pé, chora, fica triste, mas não desisti. Sabes como é o nome disso? Uns dizem que é manha, outros dizem que é coisa de menina mimada, eu prefiro acreditar que é fé. Fé na vida. Ela é dessas que carrega um potinho de fé para onde quer que vai. É que ela tem fé que vai conseguir, acredita que uma hora a vida vai sorrir. Deve ser por isso que a vida quase sempre lhe sorri de volta.

Ela é daquelas que tem um amor que não cabe em si, por isso nunca desistiu do amor. Faz parte da sua personalidade, mas que personalidade é essa que aguenta todas as rasteiras da vida e do amor? Ela aguenta, no início diz que nunca mais, chora horrores, depois veste-se de uma carapuça dura e fria e fala que o amor realmente não existe. Mas é só conversa esfarrapada, mais tarde ou mais cedo lá está ela, de novo no amor. Ela é daquelas que se entrega, por isso quebra sempre a cara. Volta para casa como se tivesse batido a cara num poste, mas logo passa e lá está ela de novo: pronta para mais um acidente. Ela é daquelas que não desiste e acredita no amor. Ela sabe, que por mais que demore, que por mais que ela tenha que quebrar muito a cara, um dia o amor vai sorrir de volta. É como cuidar de uma flor: nós regamos, adubamos, voltamos a regar, todos os dias damos uma atenção especial para ver como anda o crescimento, vemos se algum galhinho sobreviveu à tempestade do dia anterior e cuidamos, diariamente. Tudo isso para ela florescer. E quando floresce, lá fica ela: grande, linda e a dar um bom dia para o sol. Assim é o amor e é nisso que ela acredita.

Ela é daquelas que quando não consegue algo, chora. Viste só o quanto ela chora? Não é manha, não, é medo. Medo de não conseguir, de não ser. Ela tem essa mania de querer de ser a melhor em tudo. Não é egoísmo, é só uma maneira de provar para si mesma que é capaz. Lembras-te quando eu disse que ela enfrenta tudo e se entrega? Não é só no amor, é na vida. Ela entrega-se para as dificuldades, enfrenta-as, mesmo que no final ela tenha que sair toda ensanguentada. Mania de se entregar de corpo, alma e mente para tudo, entendes?

Por isso digo, se um dia tu encontrares no teu caminho uma pessoa leve, de bem com a vida, livre, a sorrir à toa, que só de tu chegares perto já te sentes bem e renovado, ou se tu encontrares pelas ruas uma pessoa que não esteja de cara fechada, que não esteja a andar à pressa e que te transmita paz só de a olhares, podes ter a certeza, ela é daquelas que sorri para a vida, na esperança desta lhe sorrir de volta.

Texto de Ana Batista de Barros

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...