hrrd

O que mais?

Hoje um amigo meu disse:
“Tens 18.000 mulheres a querer sair contigo.
Porque é que tu só sais com uma?”

Estou a sair com uma menina.

Que todas as vezes que ela entra no carro, salta para cima de mim com um sorriso, e me abraça.

Estou a sair com uma menina.

Que quando soube que o meu pai estava doente, pesquisou a doença dele na internet.

No outro dia, comprou várias coisas que ele precisava.

Que desde o primeiro dia que saímos, até hoje, me liga para dizer:

“Boa noite. Estou a rezar pelo teu pai.”

Estou a sair com uma menina.

Que vai deixar de fazer uma prova de curso, que ela estudou 2 anos, para poder viajar comigo, e levar o meu pai para ver o mar pela última vez.

Estou a sair com uma menina.

Que nunca me enrolou.

Que não jogou.

Que todos os finais de semana me procurou.

Estou a sair com uma menina.

Que perguntou se eu podia viajar no Reveillon.

Eu disse que não, por causa do meu pai.

Então, ela deixou de viajar com as amigas, para passar comigo, com o meu pai e os meus amigos.

Estou a sair com uma menina.

Que não se importa se o meu cabelo está a cair ou não.

Se as amigas me acham feio ou não.

Estou a sair com uma menina.

Que manda mensagem às 22:30 de terça-feira a dizer:

“Estou com saudades.”

10 minutos depois, estou na porta da casa dela.

E respondo:

“Saudade a gente não responde, a gente mata. Estou na porta de tua casa.”

Ela desce.

Entra no carro e salta para cima de mim, a sorrir.

Estou a sair com uma menina.

Que ama Pearl Jam.

Canta, grita e dança dentro do carro.

Que faz sexo com amor.

Que sorri, que me dá beijos e morde.

Estou a sair com uma menina.

Com a qual sonho enquanto estou a dormir.

E com a qual acordo no pensamento.

Estou a sair com uma menina.

Que não liga se saio de boné à noite.

All-star.

Bermuda.

Estou a sair com uma menina.

Que não deixa de sair com as amigas.

Que não briga se eu sair com os amigos.

Que ficar junto não é uma obrigação, é uma escolha.

Estou a sair com uma menina.

Que quando eu choro no cinema, ela aperta-me e diz:

“Não chores. É tudo mentira.”

E eu respondo a chorar:

“MAS É BASEADO EM FACTOS REAIS!”

Ela começa a rir.

Estou a sair com uma menina.

Que não está presa no passado.

Em medo.

Ou ex-namorado.

Estou a sair com uma menina.

Que quando o meu telefone toca, eu espero que seja ela.

Estou a sair com uma menina.

Que quando ela me beija, esqueço por 2 minutos, que o meu pai está a morrer.

Quando ela me abraça, esqueço por 2 minutos, o peso e a dor que estou a viver.

Quando ela sorri, volto a sentir, que a vida pode ser leve e pura.

Que esse sentimento, não são 18.000 mulheres que me fazem sentir.

É uma.

É ela.

Texto de Ique Carvalho

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...