fsdcv

Quando tu menos esperares, tudo vai correr bem.

E quando tu menos esperas, quando pensas que tudo está a ir pelo caminho errado, que a tua vida programada até ao último detalhe está a fracassar, de repente, o inesperado acontece…

– Federico Moccia

Quando tu menos esperares encontrarás força dentro de ti, irás levantar-te e decidirás viver e começarás a vencer. Porque depois da tempestade vem sempre a bonança, não há excepções a essa regra.

Quando tu menos esperares tu vais encontrar-te, começas a ser quem queres ser, fazes o que queres fazer, páras de te preocupar em não decepcionar e vais para onde realmente queres ir.

A maior prisão está na tua mente

Trata-se de entender que o mais importante não é correr pela vida, mas caminhar calmamente, aprender com cada momento, por pior que seja. Porque cada evento tem alguma coisa para nos ensinar.

Uma coisa que sabemos é que a vida é complicada, mas resistir ao vai e vem do nosso navio em alto mar, em dias de tempestade, é ainda mais. No entanto, a verdade é que não há estradas intransitáveis, porque se tropeçamos mil vezes, somos obrigados a nos levantar mil e uma.


Um dia, de repente, começarás a ganhar batalhas

Cedo ou tarde, todas as peças acabam por se encaixar. Enquanto isso não acontece, ri da confusão, vive o momento e compreende que tudo acontece por uma razão.

Sê forte, resiste e trabalha para lutar sem medo, porque a dificuldade aumenta à medida que tu deixas de tentar. E a vida é o que acontece hoje, não amanhã.

Costuma-se dizer que o bom de chegar ao fundo do poço é que não nos podemos afundar mais, por isso tomamos impulso e subimos. A chave é olhar para cima com força, pisar firme e sair.


O Sol nasce sempre!

E de repente acontece, alguma coisa é accionada, e então tu sabes que as coisas vão mudar e mudaram. E a partir daí nada mais será o mesmo … NUNCA.

– Três metros acima do céu

Sofremos mais do que o necessário por aquilo que não tem solução. Vivemos desejando a estabilidade e permanência, mas não nos damos conta de que nada é fixo, o construído cai, o amado se desama, o possuído se perde.

Aceitar que as nossas vidas estão em constante movimento é a maneira de nos impulsionarmos e emergirmos para ver o sol.

É importante que nos permitamos ao colapso, tocar no fundo dá-nos um medo excessivo e exagerado. A chave é não deixar o barco à deriva, não nos conformarmos, o que é realmente valioso é o que conta, é onde colocamos o nosso coração.

Derrubar os grandes muros abre diante de nós um novo horizonte, e permite-nos colocar outros óculos para contemplarmos a vida, enquanto continuamos a subir silenciosamente e a deixar um abismo para trás.

Texto de Raquel Aldana (tradução)

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...