fdb

Ser emigrante não é fácil!

Porque muitos de nós nunca pensamos e reflectimos bem no que é ser emigrante, no quão difícil é essa vida, o que leva algumas pessoas a abandonar o seu país, que sabor têm as férias e o regresso aos seus pontos de origem, como é que eles se sentem quando pessoas afirmam que eles se acham superiores somente por estarem no estrangeiro? Como é que eles se sentem quando estão completamente sozinhos, sem ter um familiar do outro lado para os guiar e apoiar? Do que é conseguir viver e lidar com outra cultura, outra língua, com outros tipos de comida e com as muitas saudades do que ficou no seu país?

Muitos queixam-se por trabalharem em diferentes zonas do país e por só poderem ir a casa durante o fim-de-semana, imaginem o quão doloroso é para quem está a muitos milhares de quilómetros de distância da sua casa, país e família. Aposto que alguns de nós nunca pensou e se imaginou realmente nessa vida, na vida de um emigrante.
Desengane-se aquele que pensa que a vida de emigrante ou da família de um emigrante é uma vida fácil. Muito pelo contrário! De facto, só quem passa e sofre com isso é que sabe o quão difícil é estar longe daqueles que mais amamos.

Nada deve ser tão difícil quanto deixar tudo para trás e ir para outros países longe do nosso e lutar pela própria vida e também pela vida da sua família, nada é tão difícil como afastar famílias, mães e esposas que sofrem a ver os seus filhos e maridos partir para longe dos seus braços sem nada poderem fazer, nada deve ser tão difícil como ver filhos, irmãos, netos, e sobrinhos crescerem a distância sem poderem estar mais perto e mais presentes na vida deles porque o seu país não teve condições de não os deixar partir, nada deve ser tão difícil como contar os dias que faltam para as férias de verão, para finalmente poderem regressar ao país que trazem no coração, ao seu cantinho, nada deve ser tão difícil como “matar” saudades e ter conversas por um computador ou telefone quando o maior desejo era entrar por eles a dentro e estar ao lado dos que lhes são mais queridos sem nunca os ter de abandonar.

Nada deve ser tão difícil como ser obrigado a lutar pela vida longe da sua casa, da sua terra e do seus país, como ser obrigado a trabalhar de manhã á noite e passar sacrifícios sem se poder queixar, nada deve ser pior e tão difícil como ser obrigado a fazer-se de forte e a pensar positivo quando chega a hora da partida para longe de tudo o que lhe pertence.

Vida de emigrante não é fácil, não é uma vida de luxos e extravagâncias como muitos pensam. É preciso ter muita coragem, força e determinação para deixar tudo em busca de uma vida melhor num país que não é o seu.
Podem acreditar que só quem está e passa por uma situação dessas é que sabe o enorme sacrifício que se faz. Eles não vivem, apenas sobrevivem, eles podem estar lá, em outros países mas o coração deles está aqui, no seu verdadeiro cantinho!

Este mundo está cheio destes heróis e heroínas, emigrantes e imigrantes, homens de H grande e mulheres de M grande que lutam pela vida.

A todos esses Homens e Mulheres de letra grande eu desejo a maior sorte, felicidade e força do mundo para mais estes meses de luta, e dou os meus parabéns pelas pessoas de força, garra e coragem que vocês são, vocês são motivo de orgulho, vocês são mesmo muito grandes! Tenho dito.

Texto de Joana Torres

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...