yuk

Só espero nesse dia não ser eu o mal

Sempre esperei por alguma coisa. Não sabia se era amor, se era só um carinho, ou apenas uma palavra. Mas sempre esperei por ti. Pela tua vinda, pelas tuas desculpas, por caíres em ti. E sempre aguentei os teus maus modos, as tuas revoltas comigo, o desamor, as palavras frias que atiraste contra mim, como tiros à queima roupa que me deixavam completamente desfeita. E esperei, sem saber pelo quê e sem saber se isso algum dia chegaria.

Sempre fomos os opostos que se atraem, o yin e o yang, o sol e a lua e o dia e a noite, o silêncio e o ruído, e por causa disso sempre pensei que nos completávamos e que estava bem contigo, pensava que eram os outros que não entendiam e tu que entendias mas não querias entender. Afinal quem não entendia era eu, e só no dia em que fomos o isqueiro e a gasolina, é que percebi isso, só no dia em que deitaste fogo ao que éramos é que vi que eu fui uma mera vítima.

O maior problema é que, depois disso, passei muito tempo – demasiado até – a pensar que tinha sido, como outras, uma vitima tua, que tu me tinhas usado, que tinhas feito de mim um entretenimento e que quando te fartaste me tinhas deitado fora. E, por isso, não conseguia seguir em frente, porque continuava sem te entender.

Só depois de muito lutar contra o vazio é que percebi que eu tinha sido vítima de mim própria, eu é que me tinha enganado com cenáriozinhos perfeitos em que tu e eu éramos felizes, em que não era demasiado tarde para me pedires desculpa e em que não me magoavas. Eu é que tinha inventado na minha cabeça um tu que não existe nem nunca existiu, um tu sem falhas, um nós em que quem falhava era eu e só eu, em que tu merecias tudo e eu nada. Esse foi o crime, e não eras tu o culpado, era eu. Era eu a culpada, de não ver que o mal estava em ti e não em mim. O mal está em quem não ama de volta. O mal está em quem deixa que seja demasiado tarde. O mal está em quem só recebe e nunca dá nada de volta. O mal está em ti. O bem? O bem está em quem ama. O bem está em quem volta sempre, para mostrar que até chegar ao fim ainda não acabou. O bem está em mim.

Hoje percebo e sei que não mereces o meu amor, não mereces que eu seja a minha própria vitima, não mereces a forma como me senti durante tanto tempo, não mereces a minha dor, não mereces o meu tempo. E isso foi o que me levaste mais, tempo.

Por isso, segui em frente, sem ti. Pode ser que um dia chegue alguém que mereça. Pode ser que um dia chegue alguém que seja o bem. Só espero nesse dia não ser eu o mal.

Texto de Sofia S.

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...