O amor nasce nos pequenos detalhes, mas também morre pela falta deles - Já Foste

O amor nasce nos pequenos detalhes, mas também morre pela falta deles

Era uma vez uma história de amor ‘eterno’ que durou pouco, era uma vez um ‘para sempre’ que acabou rapidamente, era uma vez um ‘amo-te’ totalmente vazio de sentimento. Hoje em dia o que não falta são promessas que são feitas e não são cumpridas. Hoje em dia o que não falta são coisas ditas sem serem sentidas e coisas sentidas sem serem ditas. Vivemos rodeados por demasiada mentira junta e disso nós já estamos fartos, fartos de ser enganados com as falsas juras de amor verdadeiro quando não passam apenas de meros interesses ocasionais, fartos de nos enganarmos a nós próprios pois cremos na infeliz ilusão de que é desta vez que será especial.

Acreditamos uma vez, outra e mais outra, pois achamos que é recíproco o que sentimos, nos entregamos de cabeça mas fazendo pouco uso dela, muito por culpa da cegueira causada pela paixão que para além de não permitir que vejamos a direito também nos impossibilita de por vezes tomarmos as melhores decisões. É o que dá ouvir mais o coração do que a razão, é o que dá confiar cegamente nas palavras de alguém, às vezes não o podemos mesmo fazer, temos de desconfiar de certo modo, de nos resguardarmos de futuras desilusões, diria até que o melhor seria mesmo deixarmos a outra pessoa provar a cada dia a veracidade do que diz, darmos a alguém a missão diária de se apaixonar por nós a cada amanhecer como se fosse a primeira vez, porque caso contrário não vale a pena…

O amor não é feito de promessas mas sim de atitudes, o amor não é fugaz, o amor não nos faz mal, contudo, existe muita gente a usar esta palavra sem conhecer o seu real sentido, banalizando-a até um ponto extremo, nos levando a acreditar que é uma realidade palpável, mas no fim de contas, quando damos por nós, nos apercebemos que estávamos a viver num enorme embuste e… Não há nada mais doloroso que isso!

É essencial pensar, ninguém deve dizer as coisas em vão, é preciso pensar na outra pessoa e no quanto ela vai sofrer quando cair em si e perceber que tudo não passou de um valente engano. “Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti”!

Texto de Alexandre Valério

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...