trehj

Não esperes quem não quer ser esperado.

Não devemos esforçar-nos para esperar alguém que não virá até nós. Mais do que tudo, porque o que está em jogo são as nossas ilusões e o nosso bem-estar, isto é, a nossa perspectiva de vida.

Ficar a aguardar alguém que nos ignora ou não nos valoriza prejudica as nossas capacidades emocionais, desorganizando o nosso mundo e fazendo com que abramos mão das nossas vidas por alguém.

A este respeito, dizem que a única maneira de evitar esses problemas é amarrando as nossas vidas a um objetivo, não a pessoas ou objetos. Ou seja, o segredo está dentro de nós mesmos.

“No entanto, como não fomos educados dessa maneira, é muito difícil de nos libertarmos das expectativas que temos frente ao mundo. Na verdade, ainda que saibamos que quem muito espera tem grandes chances de ser decepcionado, não podemos deixar de pensar que talvez isso não aconteça desta vez.”

Em suma, este trabalho interno não é tão fácil quanto parece. Em primeiro lugar, devemos estar dispostos a eliminarmos falsas crenças que nos perturbam e, em seguida, conseguirmos manifestar e realizar isso nas nossas vidas.

Não esperes, liberta-te e voa

Vivemos de esperança, mas não sabemos o que esperamos…

Julio Cortazar

Às vezes, as expectativas que criamos nos outros ou no mundo oprimem-nos ou bloqueiam-nos. No entanto, a verdade é que é difícil eliminá-las, porque necessitamos delas para vivermos e para nos organizarmos.

Devemos, portanto, levar em conta que o facto de não termos que viver as nossas vidas com base nas decisões dos outros, não significa que temos que parar de considerar o resto do mundo. Ou seja, libertarmo-nos não significa que temos de ser egoístas e olharmos apenas para nós mesmos.


Desapegar-nos de excessos

Uma vez que começamos a liberar-nos, iniciamos a jornada de honestidade e responsabilidade para com nós mesmos. No entanto, o que à primeira vista pode parecer entediante, vai oferecer-nos tranquilidade e paz com o tempo.

Nesses momentos tu percebes que és tu quem conduz a tua vida e que tu tens o privilégio exclusivo de ser o arquiteto dela. Para ser feliz não é necessário que essa pessoa queira ou não estar na tua vida.

“Não é bom que o nosso bem-estar e satisfação dependam do que os outros não nos trazem, pois assim nunca conseguiremos satisfazer as nossas necessidades.”

Por outro lado, é importante assumir que tudo muda e aceitarmos essa realidade. Neste mundo não há nada que seja permanente, incluindo as nossas relações, necessidades ou pessoas.

Outra âncora que nos mantêm imóveis diante da realidade é o medo do fracasso emocional e sentimental. Esta destaca-se como uma montanha enorme que ninguém se atreve a escalar. Para superar isso, devemos romper com essas crenças, sabermos perdoar-nos e não nos punirmos sem necessidade. Alcançar isso ajudar-nos-á a concentrar-nos no que realmente importa: o momento presente.

De uma forma ou outra, temos de assumir que as perdas vão acontecer mais cedo ou mais tarde. A permanência dos sentimentos e pessoas é uma ideia idílica da realidade.

“Lembra-te que o imprescindível para a tua vida é seres feliz e amares-te, este é o único amor que vai lembrar-te de que as nossas emoções e projetos não nascem para que algo nos aconteça, mas para nos ajudarem a crescer.”

Texto de Raquel Aldana (tradução)

Deixa o teu comentário

Recomendado para ti...